Feijoada com linguiça artesanal Dono do Tempero - NW ROYAL - Carnes Especiais
Geleias Dono do Tempero
20 de agosto de 2020
Linguiça de Costela Angus Carapreta
Linguiça de costela Angus, queeee delícia!
28 de setembro de 2020
Exibir Tudo

Feijoada com linguiça artesanal Dono do Tempero

Feijoada com linguiça artesanal

Que tal preparar sua próxima feijoada com uma linguiça artesanal sem conservantes e com muito sabor? Use as linguiças Dono do Tempero, será aquele seu novo toque especial de sabor na sua feijoada!

São cinco diferentes sabores para escolher: linguiça suina com queijo colonial e azeitona, linguiça suina com queijo coalho, linguiça suina pura, linguiça suina apimentada e linguiça com frango e queijo provolone!

Foto com 5 embalagens de linguiças em diferentes sabores

Sabores das linguiças artesanais dono do tempero

feijoada é um dos pratos típicos mais conhecidos e populares da culinária brasileira. Composta basicamente por feijão preto, diversas partes do porco e linguiça e acompanhamentos como arroz branco, farinha de mandioca, aipim frito, torresmo, laranja, couve refogada e uma clássica caipirinha para acompanhar, deu água na boca né?

 

Um pouco mais da história:

Historiadores e especialistas da culinária indicam que esse tipo de prato – que mistura vários tipos de carnes, legumes e verduras – é milenar. Remonta possivelmente da área mediterrânica à época do Império Romano, segundo Câmara Cascudo. Pratos similares na cozinha latina seriam o cozido, em Portugal; o cassoulet, na França; a paella, à base de arroz, na Espanha; e a casouela e o bollito misto, na Itália.

Mas a feijoada tem as especificidades da culinária brasileira. O feijão preto é originário da América do Sul e era chamado pelos guaranis de comandacomaná ou cumaná.

Segundo Carlos Alberto Dória, a origem da feijoada estaria no “feijão gordo”, o ensopado da leguminosa acrescido de toucinho e carne seca. A feijoada seria esse “feijão gordo” enriquecido ao extremo, com linguiças, legumes, verduras e carnes de porco.

O famoso folclorista brasileiro indica que a feijoada como a conhecemos, composta de feijão, carnes, hortaliças e legumes, seria uma combinação criada apenas no século XIX em restaurantes frequentados pela elite do Brasil. Sua difusão teria se dado em hotéis e pensões, principalmente a partir do Rio de Janeiro.

Porém, a propagação da ideia da feijoada como prato nacional seria consequência das ações dos modernistas para construir uma identidade nacional brasileira, segundo Carlos Alberto Dória.

Por Tales Pinto, Mestre em História.

PINTO, Tales dos Santos. “História da feijoada”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historia/historia-feijoada.htm. Acesso em 16 de setembro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *